Como ajudar um dependente químico?

Uma das principais questões, principalmente para os familiares que possuem entre seus membros um usuário de drogas, é como ajudar um dependente químico em sua reabilitação.

A dependência química é uma doença crônica e, na maior parte das vezes, o usuário de drogas apresenta incapacidade na escolha de uma atitude diferente daquela que está tomando. Tanto para homens ou mulheres, adultos ou adolescentes, o dependente químico não consegue tomar a decisão de parar com o consumo da substância em que se tornou dependente, uma vez que a vontade de usar as drogas sempre se mostra maior do que qualquer outra coisa na vida, ou seja, as substâncias psicoativas estão à frente dos estudos, do trabalho, do convívio com os familiares ou com os amigos e até mesmo à frente de qualquer regra ou norma social.

Para ter como ajudar um dependente químico não basta apenas escolher uma clínica de recuperação e promover sua internação, seja ela compulsória ou involuntária. O dependente químico precisa ter motivação para se livrar das drogas. Ele precisa querer se libertar, como acontece com qualquer doente vítima de um problema que sabe que o irá acompanhar pelo resto de sua vida.

Internar um dependente contra sua vontade não é um meio de ajudar o dependente químico, a menos, evidentemente, que ele esteja se tornando perigoso para si mesmo ou para terceiros. Essa decisão, no entanto, não vai fazer com que ele tenha a motivação para desistir das drogas.

Quando o usuário, depois de avaliação médica, é considerado um elemento que pode oferecer perigo para si mesmo, para os familiares ou para outras pessoas, é possível fazer a internação involuntária por um tempo determinado. Porém, a partir do momento em que ele tiver alta e for liberado, dificilmente os familiares poderão evitar que ele volte a frequentar os mesmos locais que costumava antes, com os mesmos amigos com quem consumia drogas e se portando da mesma maneira como se comportava.

Precisando de uma ambulância para remoção do seu familiar com problemas de álcool e drogas?

Clique aqui e fale com um especialista sobre remoção dependente químico

Entre em contato conosco pelo WhatsApp (41) 99909-2580 ou e-mail disponível no site.

Como ajudar um dependente químico durante a internação

Para um usuário de drogas que manifesta vontade de parar com o consumo, é necessário que seja levado a um médico psiquiatra, que faça uma avaliação, analisando seu estado mental e físico e buscando o melhor tratamento para seu caso pessoal.

Havendo necessidade de internação, os familiares terão como ajudar um dependente químico durante o processo, fazendo visitas regulares e conversando com os responsáveis sobre sua evolução durante o tratamento.

Os familiares, no entanto, também precisam ser preparados pelos profissionais responsáveis pelo tratamento, principalmente com relação aos aspectos da doença, evitando considerar que o usuário usa drogas apenas por falha de personalidade ou de caráter. A dependência química é uma doença como o diabetes ou o lúpus que, depois de instalada no organismo, só pode ser controlada, nunca curada.

Portanto, um dos principais meios para ter como ajudar um dependente químico é entendendo que está sofrendo de uma doença e oferecer todo o apoio necessário, principalmente se ele precisar passar por um período internado. O apoio é fundamental para que ele tenha a motivação necessária para vencer as primeiras etapas do tratamento, principalmente superando a crise de abstinência.

Durante a internação, o dependente químico passa por uma série de terapias que procuram levá-lo a entender que está sofrendo uma doença crônica, inclusive participando de reuniões com outros pacientes, onde ele irá perceber que não é o único que procura vencer o problema.

Trocando experiências com outros dependentes químicos, o usuário vai entender que tem forças para superar os problemas apresentados pela dependência química e retornar ao convívio de sua família e amigos.

Como ajudar um dependente químico 

Nem todos os dependentes químicos precisam de internação para vencer a doença. Os quadros menos graves podem ser tratados em ambulatórios, sendo atendidos por profissionais que o orientam com relação às etapas do tratamento.

Nesse caso, para que o tratamento apresente bons resultados, é essencial que os familiares estejam sempre presentes, acompanhando o usuário em momentos críticos e oferecendo apoio em suas atitudes e tomadas de posição. Como não está em um ambiente que possa oferecer toda a segurança para evitar as drogas, ele corre maior risco de procurar amigos antigos ou mesmo buscar os locais onde conseguia drogas.

A principal dificuldade para um dependente de drogas em tratamento ambulatorial é ter qualquer problema que ele próprio considere que não possa resolver. Como já está acostumado a fugir da realidade, sua primeira reação é buscar os efeitos das substâncias a que estava acostumado, pensando que a droga vai oferecer o refúgio, ou mesmo trazer uma solução mágica.

Dessa forma, para que os familiares tenham como ajudar um dependente químico em tratamento fora de uma clínica especializada, a atenção deve ser redobrada e as demonstrações de apoio, carinho e afeto devem ser sinceras.

Além disso, os próprios familiares podem oferecer ao dependente químico algumas atividades que irão ajudá-lo nesse processo.

Em uma clínica, o trabalho de recuperação de um dependente químico é multidisciplinar, ou seja, são profissionais das mais diversas áreas que trabalham em conjunto, propondo atividades individuais e em grupo para que ele tenha seu tempo ocupado.

Os profissionais responsáveis pelo tratamento também incentivam a prática de exercícios e atividades físicas, ou promovem encontros para desenvolver habilidades artísticas, sempre com o objetivo de manter a lucidez dos pacientes e seu reconhecimento e satisfação pela manutenção de seu potencial.

Dessa forma, fora da clínica, para ter como ajudar um dependente químico, os familiares também precisam adotar as mesmas práticas, criando uma nova rotina para o usuário, ajudando a fortalecer sua autoestima e desenvolver suas habilidades.

É preciso entender que um usuário de drogas não consegue reconhecer que se tornou dependente químico, mesmo que demonstre procurar sua própria recuperação. Em determinados momentos, diante de algumas situações, o usuário não consegue ficar sem os efeitos das substâncias psicoativas e, por isso, a recuperação se torna mais difícil.

Portanto, a ajuda e o apoio são fundamentais para que o dependente químico mantenha sua lucidez e fique longe das drogas. Se os familiares seguem as instruções dos especialistas, esse objetivo pode ser alcançando com mais facilidade.

Como ajudar um dependente químico 

Esta é uma situação bastante diferente. Quando os familiares descobrem que um ente querido é dependente químico, a primeira reação pode ser de espanto, ou mesmo de crítica, achando que se trata de um irresponsável ou que não tem personalidade.

Nesse caso, existem algumas recomendações para que a situação seja conduzida de forma a ter como ajudar um dependente químico:

Ao descobrir a dependência química, a primeira coisa a fazer é procurar manter um relacionamento de proximidade e de confiança, oferecendo ao dependente todo o apoio que ele precisa.

A conversa não deve ser agressiva ou demonstra conivência com o consumo de drogas, mas sim um diálogo em que o principal objetivo seja fazer com que o usuário de drogas entenda os malefícios provocados pelas drogas e os impactos que a continuidade do consumo pode trazer para sua vida.

É importante que o familiar responsável por esse contato tenha conhecimento sobre o assunto, reunindo informações sobre as drogas e consegui expor suas ideias de uma forma que o dependente possa se conscientizar sobre os riscos que está correndo.

Para ter como ajudar um dependente químico é preciso que o usuário se sinta seguro, que não será criticado e que a conversa não irá trazer qualquer conflito. O objetivo é mostrar apoio, colaboração e, principalmente, dedicação, demonstrando que a família está disposta a participar do processo de recuperação.

Havendo necessidade, o familiar pode convidar um especialista para participar da conversa, ou mesmo uma pessoa em que o usuário confie, mesmo que essa pessoa não tenha uma ligação tão próxima com ele.

É importante usar palavras de incentivo e de apoio, principalmente quando se trata de um familiar mais próximo. Nesse momento, qualquer palavra negativa, qualquer crítica ou qualquer demonstração de inconformismo com o problema só irá ajudar a piorar a situação, podendo, inclusive, gerar algum conflito

Dessa maneira, o interlocutor, ao procurar a conversa para ter como ajudar um dependente químico, deve manter o controle emocional, não demonstrando decepção ou nervosismo, mas sim buscar palavras de incentivo, demonstrar atitudes positivas, evitando ao máximo qualquer tipo de conflito.

Evidentemente, isso não quer dizer que é necessário compactuar com o dependente químico, ou mesmo desculpá-lo pelo fato de ter se tornado um usuário. Ele é portador de uma doença e a conversa precisa ser amigável, oferecendo a ajuda necessária.

Havendo necessidade de apontar comportamentos do usuário quando está sob os efeitos das drogas pode ser interessante, mas sem fazer críticas ou mesmo ameaçar com punições, sempre se oferecendo como um suporte para que ele possa se recuperar.

As acusações nunca são o melhor caminho para buscar uma solução. O dependente químico deve confiar na pessoa que está oferecendo apoio e esse relacionamento deve ser saudável e amigável.

Na maior parte das vezes, os familiares tomam atitudes totalmente contrárias, ou seja, agem por impulso, procurando impor castigos, ou mesmo fazendo comparação entre o dependente e outro familiar ou algum amigo. Essas atitudes só fazem com que o usuário busque se afastar, inclusive retornando ao consumo das drogas, demonstrando rebeldia e frustração.

Para ter como ajudar um dependente químico é preciso entender os motivos que o levaram a consumir drogas. Portanto, castigos e pressão não são um caminho favorável. Para que ele possa se recuperar, é preciso que haja um vínculo sincero, em que ele saiba que pode contar com as pessoas com quem convive.

Estabelecer limites para ter como ajudar um dependente químico

Contudo, para que se possa ajudar um dependente químico, é necessário também estabelecer algumas condições dentro da família, principalmente porque o uso constante de substâncias psicoativas faz com que uma pessoa perca determinados parâmetros de conduta.

Muitas vezes, o dependente químico faz com que o convívio se torne complicado, ainda mais quando sob os efeitos de qualquer substância, não respeitando os limites da convivência social e, por vezes, chegando a se tornar violento ou agressivo.

O dependente químico precisa saber que existem coisas que não são aceitáveis dentro da família, demonstrando que seus atos apresentam consequências graves para seu relacionamento com as pessoas.

Para que os familiares tenham como ajudar um dependente químico, ele precisa entender que continua tendo responsabilidades, inclusive com os estudos e com o trabalho, além do que também deve assumir os compromissos financeiros, encarando de frente todos os atos praticados, principalmente com relação ao pagamento de fornecedores de drogas.

Ao mesmo tempo, é preciso buscar ajuda médica, procurando um profissional especializado que possa prestar um atendimento ou determinar um tratamento adequado para o dependente.

Como já informamos, cada caso de dependência química é particular, tendo suas próprias causas e gerando seus efeitos de forma diferenciada, dependendo dos problemas apresentados pelo usuário.

Havendo necessidade de internação, o dependente químico deve estar preparado para isso, aceitando o tratamento voluntariamente, sabendo que será importante para sua recuperação. Somente em casos mais graves, quando o comportamento se tornar perigoso para o usuário ou para os familiares, é que se recomenda a internação involuntária e, como se trata de uma imposição, raramente os resultados são promissores.

Os familiares precisam ainda entender que, como se trata de doença crônica, pode haver alguma recaída no futuro, devendo se preparar se isso acontecer. Os médicos consideram que os familiares se tornam codependentes, ou seja, sofrem com a situação, sendo bastante comum que um caso de dependência química seja motivo para desestruturação da família, situação que deve ser evitada ao máximo.

É necessário compreender que as consequências de uma dependência química são bastante difíceis de serem enfrentadas, principalmente pelo usuário de drogas. Se ele sofrer uma recaída, o apoio deve ser ainda maior, deixando claro que ele merece a confiança para enfrentar um novo processo de recuperação.

A recomendação médica para que o dependente participe de grupos de autoajuda, como os Narcóticos Anônimos ou Alcoólicos Anônimos é um meio de ter como ajudar um dependente químico a evitar qualquer recaída. Nesse processo, também é importante a participação dos familiares, compartilhando experiências e demonstrando o apoio que o dependente químico precisa.

Participar dos grupos de apoio juntamente com o dependente químico é a mais clara demonstração de amparo, apoio e ajuda, quando os familiares oferecem ao dependente em tratamento a confiança que ele precisa para superar os obstáculos enfrentados pela doença.

Princípios básico para ter como ajudar um dependente químico

O dependente químico é uma pessoa que vive num mundo à parte, criado por ele próprio e por suas emoções. Para ter como ajudar um dependente químico, a psicologia apresenta alguns princípios norteadores, que podem contribuir para o processo de recuperação:

Demonstrar empatia

É importante acolher e entender o ponto de vista do dependente sem obrigatoriamente concordar com ele. A empatia é uma ferramenta importante para ser aplicada para ter como ajudar um dependente químico.

Apresentar as incoerências

O dependente químico precisa conhecer a diferença entre o seu comportamento atual e o que ele pretende para o futuro. Analisando as incoerências do seu estado no momento presente e o que ele pretende conquistar no futuro, ele terá condições de se auto motivar para o tratamento.

Não confrontar o dependente químico

Em vez de confrontar o dependente é necessário saber o que ele pensa sobre sua condição e como pode se motivar para pensar em um plano de ação para controlar a dependência.

Saber trabalhar com a resistência

O dependente químico pode apresentar resistência com relação ao tratamento e, portanto, é preciso ser compreensivo, fazendo com que ele tome a decisão de se tratar. O profissional responsável deve oferecer informações para que ele possa encontrar as alternativas.

Reforçar a eficácia do tratamento

A partir do momento em que o dependente químico entende os prejuízos causados pelas drogas, ele poderá encontrar motivação para entender que precisa ser persistente para que o tratamento seja eficaz. O dependente químico deve ser encorajado e estimulado a cada momento para que se sinta fortalecido e continue com o tratamento.

O dependente químico, quando desenvolve a dependência, passa por um período conhecido como pré-contemplação. Nessa fase, ele não considera mal o consumo da substância, achando que as drogas só trazem felicidade.

Assim, o usuário não entende que seu comportamento é um risco não apenas para sua saúde, mas também para a de seus familiares e para a sociedade como um todo. Para ter como ajudar um dependente químico nessas condições, ele precisa ser conscientizado, informado e esclarecido sem que haja qualquer imposição.

Evidentemente, o primeiro passo para a busca de um autocontrole deve ser do próprio dependente químico, podendo, inclusive, ser encaminhado para algumas técnicas e estratégias que possibilitem reduzir ou parar de uma vez com o consumo.

Para ter “como ajudar um dependente químico em sua reabilitação, portanto, os primeiros passos são fazer com que tenha motivação e interesse na cura, evitando que, no futuro, seja obrigado a uma internação involuntária, quando as drogas já causaram prejuízos ainda mais graves para sua saúde.

Últimas Notícias