Melhor clínica de dependentes químicos. Como a mãe pode ajudar?

Curitiba, 13 de fevereiro de 2021, escrito por Gilson Rodrigues. Todos sabemos que um dependente químico costuma mentir frequentemente, fazendo isso para que o que dizem se torne uma verdade. Para uma mãe, no entanto, é fácil perceber quando um filho está usando drogas e se está mentindo ou não e é exatamente a mãe quem mais sofre quando é preciso internar um filho em clínica de dependentes químicos.

As mentiras de um dependente químico são fáceis de serem comprovadas e ele precisa encarar sempre a verdade. Como mãe, para oferecer ajuda, é preciso sempre duvidar do que o filho está dizendo, principalmente porque as mentiras são utilizadas para que ele próprio se engane, consiga enganar seus familiares e continuar usando drogas.

Infelizmente as mentiras são parte de uma das piores doenças da humanidade, a dependência química, que, além de prejudicar o organismo e a mente, também destrói o caráter. A doença precisa de um tratamento sério e a mãe é sempre a pessoa que mais suporta esse fardo.

Precisando de uma internação involuntária?

WhatsApp

Quais as características da dependência química?

Internar um filho em uma clínica de dependentes químicos é a melhor solução para evitar que a dependência tome conta de sua vida. Para isso, é essencial que a mãe tenha maiores conhecimentos sobre o problema.

A dependência pode ser caracterizada pelas seguintes condições:

A tolerância, que faz com que o usuário tenha necessidade de maiores quantidades da droga para conseguir os mesmos efeitos;

A síndrome de abstinência, que leva o usuário a sentir uma série de sintomas quando não está usando drogas, como agitação, ansiedade, vômitos, náuseas, depressão e podendo chegar a convulsões;

Obsessão pela droga, que leva o dependente a usar de todos os artifícios e recursos para conseguir a substância;

Consumo exagerado, levando o dependente a usar cada vez maior quantidade e por mais tempo;

Abandono das atividades sociais e profissionais, fazendo com que o dependente se isole de sua família e amigos ou companheiros de trabalho;

De uma forma geral, as pessoas dependentes possuem três caminhos: a clínica de dependentes químicos, a cadeia ou o cemitério. Se a dependência não for devidamente tratada, um desses destinos é praticamente inevitável.

A maior parte dos dependentes químicos costuma rejeitar qualquer ajuda, negando o problema até um momento em que não pode mais esconder sua condição. A mãe, portanto, é a primeira que pode saber que algo está havendo de errado e deve ser ela a fazer o alerta e tomar as providências exigidas pela situação.

Assim, é a mãe quem deve se mostrar firme e não ceder ao filho dependente, fazendo com que ele assuma as consequências pelo uso de drogas e pelas suas decisões.

Estamos online para te ajudar! Fale com nosso especialista:

Veja nossas avaliações

Diana Vilarinho
Diana Vilarinho
18. Julho, 2022.
Verificada
Excelente, prestativos, atenciosos , tratamento muito bom. Nota 10. Utilizei o serviço de remoção para consulta. Muito bom.
Maria L Diniz
Maria L Diniz
16. Julho, 2022.
Verificada
Um excelente atendimento! 🙏💜
Daiane Rosolen
Daiane Rosolen
8. Julho, 2022.
Verificada
Atendimento top! Sr. Gilson muito prestativo e super atencioso no atendimento telefônico. Eu agradeço pela gentileza. Coisa rara hoje em dia.
Carolina Luhm Crivellaro
Carolina Luhm Crivellaro
4. Julho, 2022.
Verificada
Excelente atendimento pela equipe.
Ozana Storck
Ozana Storck
21. Junho, 2022.
Verificada
Serviço de excelência
Rosa Pelizari
Rosa Pelizari
1. Junho, 2022.
Verificada
Realizei alguns exames com a Brasil e fui muito bem atendida. Os profissionais são pontuais, educados e qualificados. Obrigado pelo ótimo atendimento.
Izabel Martins Campos
Izabel Martins Campos
23. Maio, 2022.
Verificada
Valmir Mendes
Valmir Mendes
5. Maio, 2022.
Verificada
Maria Mendes
Maria Mendes
5. Maio, 2022.
Verificada
Rosimeire Ribeiro
Rosimeire Ribeiro
5. Maio, 2022.
Verificada

WhatsApp

Clínica de dependentes químicos e a decisão da mãe?

Um fator importante que deve ser entendido, principalmente pela mãe, é que existem três “C” para começar a cuidar do dependente:

Em primeiro lugar, não foi ela quem Causou a dependência química;

Em segundo, ela, como mãe, não pode Controlar a situação sozinha;

Em terceiro, não é ela, como mãe que vai Curar o filho.

Sabemos que é bastante doloroso descobrir que na família existe um dependente químico, e tudo deve ser levado em conta na busca da solução do problema, tomando uma posição bastante firme e não assumindo qualquer responsabilidade sobre os atos do usuário.

Se a mãe ou qualquer familiar assumir as responsabilidades do dependente químico, ele certamente vai tentar manipular e conseguir o que pretende. Portanto, é necessário não pagar suas dívidas ou tomar qualquer atitude que o leve a gastar dinheiro com drogas.

A mãe deve evitar ao máximo cair em codependência, colaborando com o consumo de drogas, situação que pode ser feita mesmo inconscientemente. Como se trata da pessoa mais próxima, normalmente ela pode ajudar, mesmo sem querer e sempre vai sofrer as consequências junto com o dependente.

Em muitos casos, a própria mãe, com pena do filho, ajuda a pagar suas dívidas e chega mesmo a pagar fiança para retirar o dependente da prisão, e tudo isso acaba apenas incentivando a dependência e a continuidade de consumo das drogas.

A consciência para curar a dependência química?

A mãe deve entender que ela própria não tem qualquer poder para fazer com que o filho deixe de usar qualquer tipo de droga, já que isso é uma decisão pessoal. O próprio dependente químico deve reconhecer que tem um problema e buscar ajuda.

Caso o filho seja internado em uma clínica de dependentes químicos, pode até passar pelo tratamento. No entanto, é bastante possível que, quando tiver alta, tenha uma recaída.

Muitos dependentes internados de forma compulsória ou involuntária voltam a consumir substâncias ilícitas no mesmo dia em que têm alta, principalmente porque não foram devidamente conscientizados sobre os malefícios causados pelas drogas.

A recaída depois de uma internação contra a vontade pode ocorrer se não houver uma total mudança de mentalidade no filho dependente. Por isso, o papel da mãe é crucial, devendo levar o filho a admitir a sua condição e fazer o tratamento de forma voluntária.

A internação em uma clínica de dependentes químicos sem a conscientização da pessoa só irá fazer com que a família gaste dinheiro e perca um tempo essencial para manter a dependência sob controle.

A mãe não deve se deixar esgotar pela situação, já que não vai ajudar em nada no processo de recuperação do filho dependente. Para evitar a perda do próprio controle, é aconselhável que ela participe de grupos de ajuda de familiares de dependentes químicos.

Observando a experiência de outras mães e comparando-as com as próprias, ela conseguirá forças para buscar uma solução eficaz para o filho dependente químico.

Mais do que apenas ela própria frequentar, é preciso convencer o filho dependente a participar de grupos como os Narcóticos Anônimos. Com uma conversa séria e sincera, como mãe ela irá oferecer a ajuda necessária para conseguir resultados duradouros para o filho.

A internação em uma clínica de dependentes químicos de forma involuntária pode até trazer bons resultados, mas sempre é bom fazer com que o filho tenha a consciência da necessidade de se tratar.

A mãe deve impor limites ao filho dependente químico?

O papel da mãe é de extrema importância na busca de tratamento em uma clínica de dependentes químicos. Ela deve impor limites, uma vez que, se não forçar o filho a um tratamento será deixar que ele faça o que bem entende com a própria família.

A mãe deve impor um limite bem definido para não ser manipulada, principalmente porque não há qualquer razão para que o filho dependente químico possa atrapalhar a vida familiar sem aceitar um tratamento.

A imposição de limites deve ser feita de forma drástica e, embora possa trazer sofrimentos para a mãe, deve ser feita. Para muitos dependentes químicos, a imposição de limites é o único meio de conseguir que eles aceitem passar pelo tratamento. E isso deve ser feito antes que o filho dependente esteja no fundo do poço.

A imposição de limites implica em não deixar que o filho saia e volte à hora que bem entende, devendo seguir as ordens do local onde está morando. Caso não queira aceitar, deve assumir sua própria vida e deixar o ambiente.

Embora seja uma atitude impensável para qualquer mãe, se esses limites não forem impostos, toda a família vai sofrer com a situação, podendo, inclusive, correr sérios riscos, seja em razão do próprio dependente ou de fornecedores cobrando dívidas de drogas.

O filho deve ser orientado a aceitar a internação em uma clínica de dependentes químicos e escolher entre fazer o tratamento ou cuidar da própria vida. Fazendo a escolha pela clínica, é importante oferecer todo o apoio que ele precisa.

Amor não é algo que leva uma pessoa a fazer tudo o que a outra deseja, e sim aquilo que pode fazer bem para sua vida. Quando um dependente químico desrespeita o local onde vive e a própria mãe, ele se torna permissivo, assumindo o controle sobre tudo e todos.

Como em qualquer caso, não podemos deixar de lado a espiritualidade. De uma forma geral, as mães rezam por seus filhos e buscam os meios para que ele encontre o melhor caminho.

Contudo, mesmo com a espiritualidade em alta, a mãe deve tomar as atitudes que possam definir o caminho que o filho precisa tomar para sua própria recuperação.

O que fazer para ajudar um filho dependente químico?

clinica de dependentes químicos

Como dissemos anteriormente, uma mãe sempre conhece mais o seu filho do que qualquer outra pessoa. Ao descobrir que o filho está usando drogas, é ela quem deve tomar as primeiras decisões:

Falar com o filho e com os familiares, buscando a ajuda de todos para procurar convencer o dependente químico a ir para uma clínica de recuperação. Todos devem ser convencidos a lidar com a situação com paciência e amor, já que se trata de uma doença que exige cuidados, não podendo ser desprezada;

Buscar entender as razões pelas quais o filho se tornou dependente e procurar corrigir possíveis falhas de relacionamento. A falta de entendimento, a ausência de carinho e atenção normalmente são motivos para levar uma pessoa ao mundo das drogas;

Estabelecer uma estratégia para tratar do filho dependente químico, sabendo que tipo de droga ele está usando e há quanto tempo, a frequência de uso e a quantidade consumida, a forma como o filho consegue as drogas e como está lidando com a dependência. Certamente são perguntas bastante difíceis, mas são questões que precisam ser enfrentadas para conduzir o filho a um processo de recuperação;

Evitar a agressividade e a depressão, principalmente porque a mãe é muito mais emotiva, por ser mulher. Mesmo estando envolvida emocionalmente com o filho, é essencial que haja um enfrentamento tranquilo da situação, fazendo com que o dependente químico entenda que está acabando com a própria vida;

Buscar ajuda de um profissional, preferencialmente um psiquiatra ou psicólogo, levando o filho para uma consulta e para um diagnóstico de sua condição física e mental;

Manter sempre conversas com o filho, até que ele tome a decisão de aceitar tratamento em uma clínica de dependentes químicos, fazendo com que entenda que os prazeres oferecidos pelas drogas são efêmeros e não levam a nenhum lugar;

Finalmente, entender que o filho é uma pessoa comum e normal, que está submetido a uma série de condições que o levaram ao consumo de drogas, buscando meios para que ele possa refletir melhor e saber que precisa de ajuda.

Quanto custa um tratamento para dependentes químicos?

Em geral, os valores cobrados  inicia em R$ 300,00 e vão até R$ 800,00 reais, Observação: Existe tipos de tratamento, estrutura e equipe a Brasil Emergências Médicas pode indicar uma clinica. 

Como uma mãe pode ajudar seu filho a não cair na dependência química?

A partir do momento em que uma mãe descobre que tem um filho dependente e necessitado de internação em clínica de dependentes químicos, a situação se torna crítica e exige atenção. Contudo, existem meios para que ela, como mãe, possa evitar que o filho comece a consumir substâncias psicoativas:

Evitar a ociosidade, mantendo atenção com relação aos estudos, estimulando o filho para que ele tenha responsabilidades e envolvendo-o em atividades produtivas;

Sempre manter um diálogo, compartilhando suas dificuldades e anseios, demonstrando solidariedade e ajudando o filho a resolver seus conflitos;

Manter sempre um contato franco e sincero, demonstrando segurança diante das situações e exigindo que o filho também tenha essas atitudes. Um relacionamento franco e aberto irá fazer com que o filho tenha mais confiança e mais responsabilidade, evitando condições e situações que possam gerar problemas;

Manter sempre a coerência, principalmente com relação às mensagens passadas para o filho pelo pai e pela mãe. Ambos devem estar unidos na educação e discutir juntamente com os filhos as atitudes que devem ser tomadas. Muitas vezes, a mãe esconde algo do pai, só levando ao seu conhecimento quando a situação está mais complicada e isso vai interferir na personalidade do filho, sabendo que pode encontrar abrigo na mãe;

Estimular no filho a autoconfiança, fazendo com que valorize suas conquistas, tanto no estudo quanto nas atividades físicas, deixando que ele se sinta cada vez mais confiante para se preparar para seu futuro;

Fazer com que o filho busque o amadurecimento, assumindo suas próprias responsabilidades e sabendo como resolver seus problemas, tomando suas próprias decisões e arcando com as consequências. O filho deve aprender a fazer suas próprias escolhas e se organizar para atingir seus objetivos, mantendo os compromissos assumidos;

Permitir que o filho possa lutar para atingir seus próprios objetivos, lutando e trabalhando para ter uma vida social e profissional adequada, dentro dos princípios éticos e morais.

Como uma mãe pode ajudar o filho a se livrar da dependência química?

Como falamos sobre as formas corretas de conduzir o filho para um processo de amadurecimento, também devemos falar sobre como uma mãe pode ajudar o filho a se livrar da dependência, inclusive com internação em clínica de dependentes químicos:

Buscar ajuda de profissionais capacitados, que possam orientar sobre os procedimentos mais adequados a serem tomados;

Buscar ajuda tanto para si mesma quanto para os familiares, evitando que a família entre em depressão ou passe por crises e conflitos;

Entender que a dependência química é uma doença que exige tratamento e saber que o filho pode ter se tornado um usuário de drogas em decorrência de qualquer falha em sua educação e na formação de sua própria personalidade;

Saber dizer não quando um filho dependente químico pede dinheiro, imponto limites para suas atitudes dentro de casa e demonstrar que amor não é atender todas as vontades;

Tomar atitudes rápidas, evitando que a dependência se torne ainda mais grave.

O controle da dependência química deve ser buscado junto a uma clínica de dependentes químicos devidamente credenciada e legalizada. A mãe deve procurar conhecer os procedimentos adotados para manter a doença sob controle, uma vez que se trata de doença crônica e, portanto, incurável.

Havendo a necessidade de internação, a mãe, juntamente com o pai ou outros familiares, deve encarar a situação de forma sóbria e positiva. Através da internação e o tratamento é que será possível afastar o dependente dos ambientes que favorecem o uso e consumo de drogas.

Ao mesmo tempo, durante o tempo de internação involuntária em clínica de dependentes químicos, é essencial manter o apoio e as condições da vida normal da família, possibilitando um ambiente saudável quando ele for liberado.

O combate ao consumo de drogas pode ser feito em uma clínica de dependentes químicos de forma eficiente, com terapias que levem o usuário a tomar atitudes mais coerentes com as necessidades de uma vida saudável, mantendo acompanhamento psicológico depois da alta para vencer momentos difíceis e evitar recaídas.

Para a mãe, principalmente, é importante substituir a expectativa de cura, que não existe, pela expectativa de fortalecimento da personalidade de seu filho. Tomando as atitudes corretas, o dependente conseguirá vencer a dependência química.

Havendo a condição, no entanto, é possível conhecer uma clínica psiquiátrica extremamente eficiente, que oferece bons resultados e todo o apoio necessário nesse momento tão doloroso.

Se você tem algum familiar que não aceita ajuda, procure o tratamento e encontre uma empresa de resgate de dependente químico. O dependente, no futuro, vai agradecer

clinica de dependentes químicos

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo? 

Últimas Notícias
Categorias
ambulância qual valor

Ambulância qual valor?

Curitiba, 05 de agosto de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. Com certeza você concorda com a afirmação de que os serviços de ambulância são vitais

Leia mais »