Como fazer uma reanimação cardiopulmonar?

reanimação cardiopulmonar

Curitiba, 17 de fevereiro de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. Reanimação cardiopulmonar: No dia a dia, estamos a todo momento sujeitos a presenciamos situações que exijam medidas de primeiros socorros. Por isso, para poder salvar uma vida, é importante conhecer as técnicas adequadas a serem feitas até a chegada de uma ajuda especializada.

A reanimação cardiopulmonar, ou apenas RCP é uma das mais importantes e foi pensando nisso que a Brasil Emergências Médicas vai explicar tudo sobre o procedimento. Logo, continue lendo este artigo para entender o que significa reanimação cardiopulmonar e como realizá-la da maneira adequada!

WhatsApp

Qual o significado de RCP?

A RCP corresponde a reanimação cardiopulmonar que consiste em, basicamente, uma sequência de ações realizadas para lidar com uma pessoa que está sofrendo uma parada cardíaca. Esse tipo de emergência acontece quando o coração pára de bombear sangue e oxigênio para os outros órgãos do corpo, ou seja, é uma situação grave e que pode levar a pessoa a óbito.

Todavia, dependendo da gravidade e da agilidade dos primeiros socorros, é possível realizar a reanimação da vítima após a parada cardíaca. Portanto, quanto mais rápido for feito o atendimento, maiores as chances de sucesso e êxito.

Assim, a reanimação cardiopulmonar consiste nas manobras que tem como objetivo manter a circulação sanguínea do coração e outros órgãos vitais até a chegada do atendimento médico, sendo indispensável para assegurar sobrevida até que ocorra a ambulância para atendimento emergencial chegue ao local.

Como realizar a RCP da forma adequada?

Para que você possa salvar a vida de uma pessoa, é importante saber as técnicas corretas para realizar a reanimação cardiopulmonar. Para ajudar no atendimento de uma vítima de parada cardiorrespiratória, o primeiro passo é deitá-la de barriga para cima em uma superfície reta e firme. Em seguida, verifique se as vias aéreas estão desobstruídas, aplicado duas insuflações de ar via boca-a-boca.

Depois, posicione as duas mãos sobre o centro torácico do indivíduo e deixe os seus braços esticados e dedos cruzados. Após esse procedimento, comprima o tórax do paciente com o peso do seu corpo, sempre de forma rápida e profunda. O indicado é realizar de 80 a 100 compressões por minutos.

Além disso, vale destacar o seguinte: o procedimento não deve ser interrompido, nem mesmo durante o transporte do paciente. Por isso, não pare as compressões até a chegada da ambulância.

Outro ponto importante é a reanimação cardiopulmonar realizada em crianças e adolescentes. No primeiro caso, ela precisa ser realizada com as pontas dos dedos, já no segundo, apenas com uma mão.

Uma massagem cardíaca bem feita precisa respeitar certos direcionamentos, sempre reforçados nas atualizações das diretrizes de reanimação cardiopulmonar, que são: frequência, profundidade, retorno do tórax a cada compressão e interrupção mínima.

Tudo isso é responsável por garantir o fluxo sanguíneo adequado da vítima e a mantê-la viva até a chegada do socorro especializado.

Portanto, temos as seguintes orientações:

  • Realizar de 100 a 120 compressões por minuto, seja em adultos ou crianças;
  • Faça com pelo menos 5 cm de profundidade, mas sempre evitando passar os 6 cm, para adultos e crianças, e 4 cm para bebês com menos de 1 ano;
  • Permita o retorno completo do tórax ao final de cada compressão;
  • Busque não se apoiar no tórax da vítima;
  • Interrompa o mínimo possível o ciclo de massagem. Dessa forma, mantenha no máximo 10 segundos para a realização da ventilação a cada 30 compressões (essa fase, é indicada apenas para profissionais da área e mediante uso de equipamentos indicados), ou para o tempo de análise do DEA;
  • Troque de socorrista a cada 2 minutos, caso seja possível, para assim, evitar que o cansaço acabe afetando a qualidade do procedimento.

Quais são as causas de uma parada cardíaca?

A parada cardíaca é uma condição séria e entender as suas causas é fundamental. Esse tipo de acidente pode ser ocasionado por diversos fatores, como asfixia, intoxicações, traumatismos, eletrocussão, afogamento, estado de choque, sufocamento e inúmeras outras doenças, em especial as cardíacas e pulmonares.

Quais as consequências da parada?

A parada cardíaca pode causar diversas consequências, sendo a primeira a perda da consciência por parte da vítima. Além disso, pode ocorrer a ausência de movimentos de respiração, perda do pulso, pupilas dilatadas e sem reação à luz, pelo, lóbulo da orelha, língua e base das unhas ficam roxas. A medida que esses sinais forem identificados, a reanimação cardiopulmonar deve ser iniciada imediatamente.

Algumas outras orientações para leigos

As diretrizes de reanimação cardiopulmonar e suas atualizações reforçam que a manobra pode ser realizada por pessoas leigas, todavia, a primeira atitude que deve ser tomada é ligar imediatamente para o serviço de atendimento médico de emergência e informar a situação, solicitando ajuda imediata.

Outro ponto importante é que a ligação, mais do que apenas comunicar, pode oferecer orientações fundamentais e determinantes no resultado da ressuscitação cardiopulmonar, garantindo que a vítima consiga sobreviver até a chegada da ambulância.

O protocolo também reforça que, nos primeiros minutos da parada cardiorrespiratória o mais importante são as compressões, que devem ser realizadas de maneira contínua e com qualidade, da forma como indicada acima, sendo elas o suficiente e imprescindíveis para a sobrevida da vítima.

Manter a calma nessas situações e realizar um procedimento de qualidade é fundamental para garantir o êxito e a vida da vítima.

Por isso, não deixe de compartilhar essas informações cruciais com outras pessoas para que todos possamos entender a sua importância e saber como lidar com situações do tipo.

Conte com a Brasil Emergências Médicas para ajudá-los!

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo?