Primeiros socorros para desmaios: como funciona e o que fazer?

O nosso corpo, apesar de ser um poderosa máquina, também possui certas fraquezas e necessita de cuidados e alguns momentos . É o caso dos desmaios, que ocorrem quando há uma diminuição repentina da oferta de sangue no cérebro, ocasionando a perda de consciência.

Nessas situações, é muito importante que tenha alguém próximo a vítima para realizar os primeiros socorros e tomar as medidas necessárias. Para ajudar nesses momentos de tensão, a Brasil Emergências Médicas vai esclarecer e explicar o que é síncope e quais as melhores práticas de primeiros socorros em casos de desmaios. Confira!

Conte conosco se precisar de ajuda! Você pode entrar em contato através do WhatsApp (41) 99909-2580 ou e-mail disponível no site.

Clique aqui e fale com um especialista (ambulância 24 horas)

O que é síncope?

Muitas pessoas não sabem, mas, síncope é o termo médico utilizado para se referir a o comumente conhecido como desmaio. Os desmaios são mais prevalentes entre os 10 a 30 anos e os principais tipos são os cardíacos, cardiovascular e vasovagal.

O que causa os desmaios?

O desmaio é normalmente desencadeado pela falta de fluxo sanguíneo no cérebro, ocasionando na perda de consciência. Geralmente são breves e o paciente volta ao estado normal após alguns segundos ou minutos.

Veja algumas causas que podem levar ao desmaio:

● Pressão baixa.
● Jejum prolongado, causando queda da taxa de glicose no sangue (hipoglicemia).
● Dor muito intensa.
● Alteração emocional.
● Desconforto térmico (extremo de frio ou calor).
● Prática de exercícios físicos por períodos prolongados.
● Vômitos.
Uso de drogas ilícitas.
● Problemas cardiovasculares, neurológicos, entre outros.

Desmaio emocional

O desmaio emocional também pode ocorrer em situações de extremo medo, ansiedade ou fortes emoções é mais comum do que muitas pessoas imaginam. O desmaio emocional funciona como uma ação de proteção do organismo em uma situação de pressão física ou emocional excessiva. Nessas situações, o cérebro pode se desligar temporariamente.

Assim como nos casos de dor extrema, há uma contração dos vasos sanguíneos, diminuindo a passagem de sangue e, consequentemente, a chegada de oxigênio ao cérebro, ocasionando o desmaio.

Além disso, situações que causam sensação de sufocamento e ansiedade podem acelerar a respiração a ponto de causar uma hiperventilação e ocasionar em tonturas e desmaios devido a baixa oxigenação cerebral.

Síncope vasovagal

Uma das causas mais comum dos desmaios, atingindo principalmente adultos jovens, a síncope vasovagal apresenta um desequilíbrio no sistema nervoso autônomo, que controla as funções que independem da nossa vontade, como batimentos cardíacos e respiração.

As alterações presentes no vasovagal causa uma reação exagerada dos vasos sanguíneos, ocasionando uma alta diminuição dos batimentos e causando a queda da pressão arterial.
Hipoglicemia

Apesar de mais comum em pacientes com diabetes, a hipoglicemia pode acometer qualquer pessoa. Ela ocorre quando há a queda acentuada das taxas de glicose, causando sintomas como fome, irritabilidade, tremores, fraqueza e suor frio. Em casos mais graves, pode causar desmaios e, em decorrência da queda severa de glicemia, convulsões.

A hipoglicemia é, na maioria das vezes, desencadeada por várias horas sem comer, uso de medicamentos que interagem de alguma forma com a glicemia, atividades físicas intensa e prolongadas, entre outros.

Em uma glicemia entre 50mg/dL e 30mg/dL, já há riscos de desmaios e convulsões, sendo que glicemias abaixo de 30mg/dL representam riscos à vida. Com a queda brusca e intensa, o cérebro recebe menos glicose do que o necessário para realizar suas funções adequadamente. Assim, se a glicemia permanece baixa, a atividade neurológica fica comprometida, aumentando os riscos de desmaios e convulsões.

Os sintomas incluem tremores, suor frio, irritabilidade, dificuldade de raciocínio, alteração respiratória e palidez.

Queda na pressão.

A queda de pressão pode ser causada por lugares fechados e com pouca circulação de ar, exercícios intensos e prolongados sem a ingestão correta de alimentos, altas temperaturas etc.

Pacientes com hipotensão também podem ser mais sensíveis aos desmaios.

A síncope, nesses casos, ocorre devido a insuficiência do bombeamento sanguíneo, não levando-o até o cérebro. Ou seja, menos oxigênio são transportados ao cérebro, comprometendo as funções neurológicas.

O episódio é momentâneo e melhora rapidamente. Antes de desmaiar, a maioria das pessoas sente sintomas como suor frio, palidez, visão turva e tonturas. Ao identificar esses sinais, é importante que o paciente esteja deitado, com os pés mais elevados do que a cabeça, favorecendo o fluxo sanguíneo e evitando a perda de consciência.

Alteração cardíacas

Obstruções na válvula cardíaca ou alterações no fluxo sanguíneo, pode afetar o funcionamento de todo corpo, diminuindo a circulação. Com a circulação afetada, o cérebro recebe menos oxigênio, ocasionando na perda da consciência. Paciente com alterações cardíacas pode sofrer desmaios apenas por permanecer em pé.

Desidratação

Para evitar dores e fadigas, é necessário manter uma hidratação adequada do corpo. A sede é um sinal de desidratação leve, para indicar que precisa ingerir líquidos. Após algumas horas, outros sintomas podem surgir, como alteração na visão, tonturas e desmaios. Por isso, ingira pelo menos 2 litros de água ao longo do dia, mantendo o corpo hidratado constantemente.

Desmaios na gravidez

Os desmaios na gravidez são, de certa forma, normais. Desencadeados principalmente pela queda de pressão sanguínea nos primeiros meses da gestação, há também inúmeras alterações hormonais e adaptações físicas necessárias nessa fase.

Para as melhores que já possuem uma predisposição, jejum prolongado, desidratação, calor excessivo e pressão baixa, os desmaios e tonturas se tornam ainda mais comuns. Devido à possibilidade de queda e lesões, é necessário tomar ainda mais cuidado, sempre procurando manter a mulher calma e senta-la ou deitá-la quando houver tonturas e sentir mal-estar.

Para as gestantes que apresentam desmaios frequentes, deve-se tomar alguns cuidados, como:

● Alimentar-se de maneira fracionada, sem manter longos intervalos entre cada refeição;
● Levantar-se devagar, apoiando-se em corrimões ou suportes;
● Usar roupas frescas e confortáveis;
● Beber bastante água;
● Evitar lugares aglomerados, com pouca circulação de ar ou muito quentes;
● Ao se sentir mal, avisar alguém para que os cuidados sejam tomados.

Sintomas do desmaio

Os sintomas podem variar, sendo os seguintes os mais comuns:
● Mal-estar.
● Perda de consciência.
● Escurecimento da visão.
● Respiração superficial.
● Suor abundante.
● Relaxamento muscular.
● Palidez.

Lembrando que no caso de desmaios recorrentes, é importante ir ao médico para uma consulta e indicação de tratamento adequado.

Quais os primeiros socorros em casos de desmaios?

É importante checar imediatamente os sinais vitais da pessoa que sofreu o desmaio. Caso eles estejam fracos ou imperceptíveis, acione uma ambulância particular imediatamente.

Algumas recomendações no casos de desmaios são:

● Primeiro verifique se há algum risco no local, como escadas, janelas etc. Caso sim, afaste a vítima para um mais seguro.
● Deite-a com a barriga para cima e eleve as pernas acima do tórax.
● Deixa a cabeça de lado para facilitar a respiração e evitar asfixia por vômitos..
● Afrouxe as roupas e mantenha o ambiente arejado.
● Mantenha a comunicação com a pessoa, mesmo que ela não responda.
● Certifique-se que não houve lesões com a queda.
● Após a vítima recobrar a consciência, é importante permanecer pelo menos 10 minutos sentada, antes de ficar em pé, para evitar um novo desmaio.
● Não deixar a vítima sozinha até a chegada de atendimento médico, caso necessário.

O que não fazer em casos de desmaios?

É importante prestar os primeiros socorros adequadamente, sem piorar o quadro da vítima. Por isso, certifique-se de não fazer as seguintes coisas:
● Não jogar água fria no rosto, para despertar.
● Não oferecer álcool ou amoníaco para cheirar.
● Não sacudir a vítima.

Desmaios frequentes têm cura?

Os desmaios podem ser causados por diversos fatores e geralmente são situações isoladas. Se a síncope for causada por uma doença ou condição que seja identificada, é possível tratar a causa e eliminar ou reduzir os desmaios. Nos casos de desmaios esporádicos e que não se identifica a sua causa, o tratamento e cura se torna mais difícil.

O que fazer se você começar a se sentir fraco?

Se você começar a sentir alguns sintomas de desmaios e fraqueza, deite-se ou sente-se imediatamente para diminuir as chances de desmaiar. Vá para um local seguro, fale com alguém e coloque a cabeça entre os joelhos, caso você se sentar. Não faça movimentos bruscos ou levante repentinamente.

Caso precise de uma ambulância particular, conte com a Brasil Emergências Médicas

No caso de emergências, em que a pessoa demore a se recuperar da síncope ou tenha tido alguma lesão mais grave com a queda, chame uma ambulância particular imediatamente para atendimento especializado e minimize as chances de complicações ou sequelas. Para isso, você pode contar com a Brasil Emergências Médicas.

Entre em contato conosco pelo WhatsApp (41) 99909-2580 ou e-mail disponível no site.

Brasil Emergências Médicas empresa especializada e qualificada para “ambulância

Saiba mais:

Últimas Notícias