Traumatismo craniano: o que é, sequelas e tratamento

traumatismo craniano

Curitiba, 31 de janeiro de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. O traumatismo craniano, também chamado de traumatismo cranioencefálico, se trata de uma lesão no crânio que pode ser provocada por pancada ou trauma na cabeça, atingido o cérebro e causando sangramento e coágulos. Em alguns casos, pode deixar sequelas graves, necessitando de reabilitação e tratamento multidisciplinar.

Para esclarecer melhor acerca do traumatismo craniano, a Brasil Emergências Médicas vai explicar tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

WhatsApp

Qual a causa do traumatismo craniano?

O traumatismo craniano pode ser causado por alguma pancada ou trauma na cabeça. Grande parte das vezes, este tipo de traumatismo ocorre em acidentes de carro, quedas graves ou acidentes que acontecem durante a prática de esportes.

Quais os principais sintomas do Traumatismo Craniano?

Basicamente, os sintomas do traumatismo craniano podem variar de acordo com a intensidade da pancada e a gravidade do acidente ocorrido. No entanto, existem alguns sintomas que são mais frequentes, como por exemplo, sangramento na cabeça, no ouvido ou no rosto; desmaio; perda de memórias; alterações nas vistas e olhos mais arroxeados.

Além disso, há outros indícios que podem indicar traumatismo cranianos, como:

  • Desmaio e perda de memória;
  • Dificuldade para enxergar ou perda da visão;
  • Dor de cabeça intensa;
  • Confusão mental e fala alterada;
  • Perda de equilíbrio;
  • Vômitos;
  • Sangramentos graves na cabeça ou rosto;
  • Sangue ou líquido transparente saindo pelo nariz e ouvidos;
  • Sonolência excessiva;
  • Olho roxo ou manchas roxas nas orelhas;
  • Pupilas com tamanhos diferentes;
  • Perda de sensibilidade em partes do corpo.

O choro persistente também pode ser entendido como um sintoma de traumatismo craniano em crianças, além de agitação ou sonolência excessiva, se negar a comer alimentos, vômitos e afundamentos na cabeça – comuns em quedas de superfícies altas, como cama ou mesa.

Caso você identifique qualquer um desses sintomas após uma queda ou uma pancada na cabeça, é imprescindível acionar o serviço de ambulância para que seja realizado um atendimento pré-hospitalar adequado. Entretanto, enquanto o atendimento de emergência médica não chega ao local, é importante seguir algumas recomendações, como não movimentar a vítima e verificar se ela está respirando. Caso você não identifique os sinais vitais, inicie uma massagem cardíaca.

Tipos de traumatismo craniano

Existem diferentes tipos de classificações do traumatismo craniano, que irá depender da gravidade da pancada, do grau em que as lesões afetam o cérebro e os sintomas apresentados.

O traumatismo craniano pode ser:

  • Leve: é o tipo mais comum, onde a pessoa se recupera de forma mais rápida, pois as lesões cerebrais apresentadas são menores. Nessas situações, a pessoa geralmente fica algumas horas de observação em emergência e é liberada para prosseguir com o tratamento em casa, mantendo-se sempre em observação;
  • Moderado: caracteriza-se por uma lesão que atinge uma área maior do cérebro e a vítima pode ter maior risco de complicações. Por isso, o tratamento deve ser feito em um hospital, assim, a pessoa permanece internada, recebendo o suporte e acompanhamento necessário;
  • Grave: consiste em lesões cerebrais extensas, com presença de grandes sangramentos na cabeça, sendo necessário que, nestas situações, a pessoa fique internada em uma UTI para suporte avançado.

Além disso, as lesões provocadas pelo traumatismo craniano podem ser focais, o que significa que atingiu uma pequena área do cérebro, ou difusas que consistem na perda de funcionamento de grande parte do cérebro.

Seja qual for a situação, é imprescindível uma avaliação feita por um neurologista, que irá avaliar as áreas do cérebro afetadas através da realização de exames, como a tomografia computadorizada e, a partir daí, será recomendado o tratamento mais adequado e mais seguro ao paciente.

Como tratar o traumatismo craniano

Da mesma que os sintomas se diferenciam de acordo com a gravidade da lesão, o tratamento do traumatismo craniano também irá depender da extensão da lesão no cérebro. A melhor forma de certificar isso é, como dito anteriormente, através de uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Em casos mais leves, a recomendação médica envolve medicamentos para dor e realização de suturas ou curativos na presença de lesões cortantes. Em seguida, é necessário observar se a pessoa não apresenta outros sintomas de gravidade; sendo possível receber alta hospitalar já nas primeiras 12 horas – mantendo em casa a medicação e observação.

Todavia, quando se trata de casos moderados ou graves, em que ocorrem hemorragias, fraturas ou lesões cerebrais mais graves, a cirurgia pode se tornar a única saída para aliviar a pressão na cabeça e reduzir o sangramento – sendo preciso também que a vítima seja internada na UTI. Além disso, em outras situações, pode ser necessário que o médico induza o estado de coma para auxiliar a reduzir a atividade cerebral e acelerar a recuperação.  Durante o coma induzido, o paciente respira por meio de aparelhos e recebe medicamentos intravenosos.

O tratamento para esses tipos de traumatismo craniano precisa ser feito o mais rápido possível. Isso porque quanto mais precoce forem realizados os procedimentos médicos necessários, maiores as chances de a pessoa ter a cura e menos são os riscos de sequelas.

Quais as possíveis sequelas da lesão?

Devido a sua gravidade, é muito comum que o traumatismo craniano deixe algumas sequelas no paciente, mesmo após a sua recuperação, podendo variar de físicas até mudanças de comportamento.

Na parte física, as principais sequelas são:

  • Perda dos movimentos de partes do corpo;
  • Alteração na visão;
  • Alteração no controle da respiração;
  • Problemas intestinais ou urinários.

Além disso, ainda é possível que a pessoa apresente dificuldade para falar, engolir, perda de memória, apatia, agressividade, irritabilidade e alterações no ciclo do sono.

Entretanto, após o diagnóstico de uma sequela, o médico imediatamente indicará a reabilitação específica para melhorar todos esses aspectos, como fisiatria, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia e terapia ocupacional – caso necessário, pode ser feito o acompanhamento multidisciplinar, elementos essenciais para auxiliar e garantir a recuperação do paciente.

O que achou desse artigo sobre traumatismo craniano? Essas informações te ajudaram a entender melhor sobre o assunto? Não deixe de compartilhar com amigos e familiares, porque essas informações são muito valiosas!

Lembre-se que conhecer sobre o assunto é uma excelente forma de estar preparado para os imprevistos e cuidar de quem você ama. Ambulância 24 horas.

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo? 

Gilson Rodrigues de Siqueira

Formado em enfermagem, pós graduado, palestrante em dependência química, diretor e proprietário da Brasil Emergências Médicas, Visão Tattoo e escritor nas horas vagas.