4 de março de 2022
Post por: Gilson Rodrigues de Siqueira

O que é TCE grave e como proceder diante desse problema?

tce

Curitiba, 4 de março de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. TCE: Traumatismo craniano: Quando se fala de cuidados com a saúde, é preciso se atentar a todos os detalhes. Afinal de contas, a nossa vida é o bem mais precioso que existe. Por conta disso, ao apresentar algum sintoma constante, procurar ajuda médica é essencial.

No entanto, também é importante ficar atento aos sintomas de uma possível doença mais grave, como é o caso do traumatismo craniano. Na grande maioria das vezes, esse é um problema que costuma acontecer quando há uma forte pancada ou lesão na cabeça, por exemplo.

Inclusive, é normal que as pessoas falem que, ao machucar a cabeça, é essencial procurar por um médico, a fim de que ele possa analisar. E isso acontece, em especial, porque esse é o membro que comporta um dos órgãos mais importantes do corpo humano: o cérebro.

É por conta desse órgão que se consegue fazer as coisas mais básicas, como andar, correr, falar, segurar objetos e inúmeras outras coisas que se faz no dia a dia. Por conta disso, ter o máximo de cuidado é fundamental, até mesmo para garantir uma melhor qualidade de vida.

Fato é que há vários problemas que podem atingir a nossa cabeça e, por consequência, o cérebro. Dentre todos, o que é mais recorrente diz respeito ao TCE grave. Mas você sabe o que, de fato, é esse problema? Saberia identificar?

Ao falar de traumatismo craniano, a grande parte das pessoas acha que a vítima de uma lesão como essa fica desacordada ou entra em coma. Mas será que realmente é assim que acontece? A verdade é que cada caso é único e, portanto, não há como padronizar.

Cada pessoa reage de forma diferente às situações e, nesse contexto, não é diferente. Então, no artigo de hoje, iremos falar sobre o que é TCE grave e como agir.

WhatsApp

O que é TCE grave?

Antes de qualquer coisa, você precisa saber TCE grave o que é. Em suma, o traumatismo craniano (TCE), nada mais é que um evento traumático, o qual é bastante comum dentro da rotina de uma unidade de emergência.

Trata-se de um problema um tanto quanto sério, em especial quando se configura como “grave”. E isso acontece porque, quando não fatal, a vítima pode ter sequelas para o resto de sua vida, o que modifica a rotina por inteiro.

O TCE nada mais é que uma lesão física ao tecido cerebral. No entanto, nem todo traumatismo craniano afeta o cérebro. Mas, nesses casos, não se considera grave, mas sim leve ou moderado. Apenas indo ao médico e fazendo alguns exames que se torna possível avaliar os danos.

Caso o trauma não afete o cérebro, mas apenas o crânio, o método de tratamento tende a ser um pouco mais tranquilo. Afinal de contas, em casos como esses, na grande maioria das vezes nem sequer é preciso uma cirurgia.

Entretanto, quando se trata de um problema mais grave, a lesão tende a afetar o tecido cerebral. Por consequência, é capaz de incapacitar a atividade cerebral, tanto de forma temporária quanto de maneira permanente.

Por isso, em caso desse tipo de lesão, é essencial que haja intervenção médica o quanto antes, a fim de garantir o bem-estar e a segurança da vítima. Mas o que é TCE na medicina? Para confirmar o diagnóstico, é preciso fazer alguns exames.

Quais são os tipos de TCE?

Outra coisa que você precisa entender sobre o que é TCE na enfermagem diz respeito aos tipos existentes. Essa é uma informação importante, uma vez que ela está diretamente relacionada com o método de tratamento.

Afinal de contas, como falamos, há situações em que, mesmo havendo trauma, a lesão não chega a impactar o cérebro. Por isso, a depender da situação, o médico pode indicar algum tratamento mais adequado e eficaz.

Nos dias de hoje, há dois tipos de TCE, sendo eles classificados da seguinte maneira:

Trauma Cranioencefálico fechado (TCEF)

Ou seja, como o próprio nome indica, é aquele tipo de trauma em que o acidente não causa abertura dos tecidos e, portanto, não é tão visível. No tipo TCEF, o crânio se mantém íntegro, o que faz com que as pessoas achem que não há nenhum problema aparente.

Há uma falsa sensação de bem-estar, uma vez que não costuma sangrar nem nada do gênero. Nesse tipo de trauma, a vítima costuma demorar um certo tempo para procurar ajuda. Por conta disso, é essencial ficar de olho nos sintomas.

Esse trauma tende a acontecer, em sua maioria, devido a acidentes com veículos motorizados ou por conta de uma queda que causa rápida aceleração e desaceleração na cabeça. Ou seja, faz com que o cérebro seja jogado para frente, para trás e fora das proeminências.

Por isso, há ruptura do cérebro e das fibras nervosas, as quais são responsáveis por regular todas as sensações que chegam ao cérebro. Então, ainda que não haja sangramento ou coisa do gênero, trata-se de um problema sério.

Trauma Cranioencefálico Aberto (TCEA)

Esse é o tipo de traumatismo em que é mais fácil diagnosticar o problema. Afinal de contas, ocorre a fratura exposta. No TCEA, o crânio é fraturado ou mesmo penetrado. Não é o mais comum, mas é o que apresenta mais risco.

Afinal de contas, por se tratar de uma lesão exposta, está mais suscetível à infecção. Ademais, a causa desse ferimento, na grande maioria das vezes, é devido ao ferimento por arma de fogo ou devido alguma faca, por exemplo.

No entanto, há acidentes que também podem causar penetração do crânio e exposição da substância cerebral. Então, quedas de locais mais altos, por exemplo, podem suceder esse tipo de problema. Nesse caso, também exige intervenção médica rápida.

Por conta disso, nessa situação, uma ambulância particular para remoção médica é uma ótima alternativa. Afinal, além de auxiliar no transporte, darão todo o suporte médico, a fim de estabilizar o quadro clínico e aumentar as chances de sobrevivência da vítima.

O que fazer diante do TCE grave?

Como você pôde ver, trata-se de um problema grave, o qual pode surtir efeitos para o resto da vida do paciente, uma vez que ele pode obter algum tipo de sequela. Por conta disso, é essencial que a vítima vá o quanto antes para o hospital.

O grande problema acerca desse assunto é que, às vezes, o paciente não apresenta sintomas na hora, o que causa a falsa sensação de que está tudo bem. Por conta disso, quando alguma pessoa sofre uma queda e bate a cabeça, ainda que ela não apresente sintomas, o ideal é procurar a medicina.

Afinal de contas, há vezes em que o sintoma pode demorar a manifestar, o que dá margem para que o problema se agrave ainda mais. Então, diante de qualquer acidente em que a pessoa tenha alguma lesão na região da cabeça, vá o quanto antes ao médico.

Ademais, em algumas situações pode acontecer de a vítima sofrer TCE, ou seja, quando há lesão exposta. Nesse caso, você pode optar por contatar uma empresa de ambulância  particular, a fim de dar todo o suporte que a vítima precisa até chegar ao hospital.

Lembre-se: ter atendimento ágil é essencial para garantir a segurança e o bem-estar da vítima. Então, tome as providências o quanto antes.

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo? 

Gilson Rodrigues de Siqueira

Formado em enfermagem, pós graduado, palestrante em dependência química, diretor e proprietário da Brasil Emergências Médicas, Visão Tattoo e escritor nas horas vagas.