Clínicas psiquiátricas Curitiba: como é o processo de internação?

clinicas psiquiátricas Curitiba

Curitiba, 1 de março de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. Clínicas psiquiátricas Curitiba: As doenças psiquiátricas são bastante comuns. No entanto, o fato é que cada pessoa reage de uma determinada forma a esses problemas. Assim como há aqueles que se tornam agressivos, existem aqueles que têm algum tipo de delírio, por exemplo.

Cada caso é único, uma vez que tem características peculiares. Contudo, independente desse fator, é essencial que todas as pessoas sofram de algum distúrbio tenham os devidos acessos à saúde e as melhores formas de se tratar.

Afinal de contas, quanto mais se negligencia esse problema, maiores são as chances desse problema se agravar. Contudo, a grande questão que paira nesse assunto diz respeito ao fato de que ainda existe um certo pré-conceito com esse tipo de problema.

Por conta disso, muitas famílias se recusam a aceitar que um filho ou parente próximo sofre de algum distúrbio. No entanto, isso não deveria ser sinônimo de vergonha. É apenas um traço único que a pessoa tem, o qual merece algumas atenções.

Ademais, não se pode deixar de citar o fato que, algumas vezes, essas doenças decorrem de algum vício, como as drogas. Em vista disso, os familiares procuram por algumas clínicas de dependência química em Curitiba, a fim de dar o melhor tratamento.

Mas, ainda que as intenções sejam as melhores, a verdade é que nem sempre o dependente está de acordo com isso. Diante disso, a internação involuntária dependente drogas é a melhor opção. Mas como deve ser essa situação?

É normal que você tenha inúmeras dúvidas a respeito desse assunto. Por conta disso, nos próximos parágrafos, iremos falar com mais detalhe sobre alguns pontos. Confira!

WhatsApp

Clínicas psiquiátricas Curitiba

Quando se fala desse assunto, é bem comum que você se depare com o termo “remoção”. Mas o que exatamente é isso? Em suma, trata-se de um serviço que uma empresa de ambulância particular é capaz de fazer.

De forma resumida, nada mais é que quando um veículo, devidamente preparado, faz o serviço de translado do paciente, por exemplo. Contudo, durante todo o trajeto, deve-se dar todo o suporte e apoio médico que a vítima irá precisar.

Mas para onde a ambulância transporta o paciente? Pode ser tanto para uma clínica de dependência química  Curitiba quanto para um hospital. Isso vai depender do acordo feito com a família do dependente e o responsável por fazer esse serviço.

Caso os familiares queiram o transporte para uma clínica, deve-se acordar qual unidade encaminhar, além do horário e o dia mais adequado para se fazer essa remoção. Trata-se de um momento bastante delicado e, por isso, apenas uma equipe profissional pode fazer esse serviço.

Afinal de contas, em caso de resgate dependente químico, na grande maioria das vezes, ele não está de acordo em receber o tratamento. Por conta disso, ele pode ter uma reação mais violenta, por exemplo, e rejeitar a ajuda.

Por isso, além de ter todo o entendimento e capacidade técnica, a ambulância em Curitiba que fará esse serviço deve prezar pelo atendimento humanizado e pela empatia. Afinal de contas, trata-se de um momento de grande dor para os envolvidos.

Quais são os tipos de remoção?

Outra questão que você vai se deparar quando se aborda esse assunto diz respeito aos tipos de remoção que existem. Hoje, pode-se dizer que há três principais tipos: internação voluntária involuntária e internação compulsória.

Para cada um desses tipos, existe um método específico, a fim de deixar a situação ainda mais controlada e mais eficiente. Fora isso, a depender do tipo, existem algumas exigências que se deve estar de acordo. Iremos falar mais sobre isso a seguir.

Internação voluntária

Trata-se da remoção psiquiátrica ou do dependente químico que está de acordo em receber o tratamento. Ou seja, nesse caso, ele entende que está doente e que, a fim de obter a vida que tinha antes, precisa de auxílio profissional.

Nesse caso, o próprio dependente, com ajuda da sua família, deve optar pela clínica dependência química  Curitiba que mais lhe aprouver. Feito isso, basta combinar o dia e horário para que se faça o serviço de remoção.

O tratamento drogas Curitiba assistência em dependência química vai depender muito do local que você escolher. Por isso, recomenda-se fazer uma pesquisa profunda sobre todas as possíveis alternativas e optar por aquela que você julga ter o melhor tratamento.

As opções de clínica tratamento drogas Curitiba é um tanto quanto extensa. Sendo assim, reúna as melhores opções e defina qual é a mais indicada.

Internação involuntária

A internação involuntária psiquiátrica, ao contrário da anterior, é aquela em que paciente não está de acordo em receber tratamento. Por conta disso, ele se recusa a ser internado ou mesmo de ir para uma clínica de reabilitação.

No entanto, vale salientar que também existe o serviço de internação involuntária  de dependente químico, que também se refere a quando o paciente não é conivente com a internação. Trata-se de um momento ainda mais delicado, uma vez que a vítima pode se tornar agressiva, por exemplo.

Portanto, diante desse caso, deve-se ter todo o cuidado para lidar com essa situação e, por isso, a importância de ter uma equipe preparada se torna fundamental. No entanto, ainda existe bastante dúvida sobre como fazer uma internação involuntária.

Afinal de contas, por estar indo contra a vontade do paciente, será que isso não configuraria algum time de crime? Essa é uma pergunta bem pertinente, mas a verdade é que existe uma lei internação involuntária dependente químico e psiquiátrica.

Portanto, é preciso seguir um procedimento para internação involuntária. Inclusive, a empresa de ambulância só pode aceitar fazer esse serviço mediante a todas as documentações. Falaremos sobre isso a seguir.

Como conseguir uma internação involuntária

Se você quer saber como conseguir uma internação involuntária, saiba que deve estar enquadrado em todas as exigências estabelecidas. De acordo com a Lei 10216 internação involuntária, de início, deve-se ter um laudo de um médico.

Afinal de contas, com internação psiquiátrica involuntária, há o entendimento de que o paciente não está em plenas capacidades mentais para definir o que é melhor sobre si mesmo. No entanto, apenas o médico é capaz de atestar esse fato.

Por isso, o paciente deve primeiro ter o laudo, atestando a necessidade de tratamento. Em seguida, é preciso ter o aval do juiz para que se possa procurar por uma clínica. Então, é apenas depois de todo esse processo que se pode fazer a internação.

Internação involuntária quem pode pedir?

No caso da internação involuntária para usuário de drogas ou para remoção psiquiátrica, o pedido deve ser feito por um familiar ou responsável legal. Contudo, caso não haja, um servidor público, que seja da área da saúde, pode fazer a solicitação.

Internação compulsória

Esse é um tipo de remoção psiquiátrica ou de dependente químico em que a vítima também não está de acordo em receber o tratamento. Contudo, nesse caso, na grande maioria das vezes, a família ou responsável legal não está presente para solicitar o resgate.

Por conta disso, diz-se que a internação involuntária dependência química ou psiquiátrica ocorre quando quem faz a solicitação é o próprio juiz diante do pedido de um servidor público, por exemplo. Mas, nesses casos, o procedimento deve estar de acordo com a lei.

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo?