Transporte de Paciente em Ambulância: Entenda o Procedimento e seus Cuidados

transporte de paciente em ambulancia

Curitiba, 26 de abril de 2024, escrito por Gilson Rodrigues. O transporte de paciente em ambulância é um serviço essencial que garante a segurança e o bem-estar de pessoas que necessitam de cuidados médicos contínuos, em situações de emergência, ou para consultas e exames clínicos. No Brasil, existem leis específicas que regulamentam o transporte de pacientes em ambulância, assegurando a qualidade do serviço e a conformidade com padrões estabelecidos.

Nesse sentido, a equipe de profissionais envolvida no transporte de pacientes deve estar preparada e treinada para lidar com diferentes situações e garantir a qualidade dos cuidados prestados. Além da formação adequada em Emergências Médicas, técnicas de Programação Neurolinguística (PNL) podem ser utilizadas para humanizar o atendimento e estabelecer uma comunicação eficiente e empática com os pacientes.

Transporte de Paciente em Ambulância: Entenda o Procedimento e seus Cuidados

Princípios do Transporte de Paciente em Ambulância

A patient being carefully loaded into an ambulance on a stretcher by two paramedics

O transporte de pacientes em ambulância é uma atividade que envolve a assistência dos profissionais de saúde e a preocupação com a segurança e bem-estar dos pacientes. Desse modo, é fundamental considerar os princípios básicos na organização e realização do transporte de pacientes em ambulância.

Segurança no Transporte de Pacientes

A segurança é um aspecto crucial no transporte de pacientes, sendo fundamental garantir um ambiente confortável e protegido para o paciente durante a locomoção. Além disso, é essencial manter a equipe de enfermagem bem treinada e com a capacitação adequada, conforme estabelecido pela Resolução COFEN

Algumas medidas para garantir a segurança no transporte de pacientes incluem:

  • Maca adequada: Macas especiais que permitem uma postura confortável e o correto posicionamento do paciente;
  • Suporte para soro e oxigênio medicinal: Equipamentos específicos para a administração de soro e oxigênio conforme a necessidade do paciente;
  • Sinalizador óptico e acústico: Dispositivos utilizados para alertar outros veículos sobre a presença da ambulância, facilitando assim, a locomoção e diminuindo os riscos de acidentes;

Legislação Aplicável

É importante destacar que o transporte de pacientes é regulado pela legislação brasileira, sendo necessário seguir as orientações previstas no Decreto Regulamentador Nº 94.406/87 e na Lei 7.498/86. Essas leis estabelecem as diretrizes e normas que regulam o exercício da enfermagem e também apresentam os princípios éticos que devem ser seguidos pelos profissionais da área, conforme previsto no Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.

No que se refere às ambulâncias e à atuação das equipes de saúde, a Resolução do Conselho Federal de Medicina n°1672/2003 e Resolução COFEN Nº 588/2018 determinam os requisitos mínimos e as responsabilidades dos profissionais envolvidos no transporte dos pacientes.

Além disso, empresas especializadas em serviços de ambulância, como a Brasil Emergências Médicas, devem seguir as normativas e garantir que os procedimentos de transporte de pacientes ocorram de acordo com as regras estabelecidas, assegurando assim, a segurança e a qualidade da assistência prestada aos pacientes.

Veículos de Transporte

A patient being transported in an ambulance with medical equipment and paramedics

Características das Ambulâncias

As ambulâncias são veículos especializados e adaptados para o transporte de pacientes. Elas devem seguir as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e manter a qualidade e segurança durante o trajeto. Estes veículos são projetados para transportar pacientes em situações de emergência médica, atendendo a diferentes necessidades e condições do paciente.

No Brasil, a legislação determina que as ambulâncias devem ser identificadas com o símbolo da cruz vermelha em todos os lados e no teto do veículo, além de possuir dispositivos visuais e sonoros que permitam ao motorista alertar os outros condutores sobre a sua presença durante o trânsito.

Classificação das Ambulâncias

De acordo com a norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas, as ambulâncias são classificadas em diferentes tipos, como a Ambulância Tipo A, também conhecida como ambulância de transporte, e a Ambulância Tipo D, que é uma unidade de terapia intensiva móvel.

A Ambulância Tipo A é utilizada para transportar pacientes que não apresentam risco de vida, mas que necessitam de acompanhamento médico durante o percurso. Esses veículos são equipados com maca, oxigênio, suporte para soro e medicamentos e bancos para os profissionais de saúde.

A Ambulância Tipo D é projetada para atender a pacientes em estado grave, proporcionando uma sala de emergência completa dentro do veículo. Conta com equipamentos de terapia intensiva, como ventilador mecânico, monitor cardíaco, desfibrilador, bombas de infusão e todos os medicamentos necessários para prestar o melhor atendimento possível ao paciente.

Equipamentos Obrigatórios

Todas as ambulâncias devem estar bem equipadas para atender às necessidades dos pacientes e também dos profissionais de saúde que as acompanham. Além dos equipamentos básicos como maca, oxigênio e suporte para soro, as ambulâncias também devem possuir itens de segurança e comunicação, como extintores de incêndio e rádio para comunicar com a equipe médica.

As ambulâncias da Brasil Emergências Médicas seguem rigorosamente as normas estabelecidas pela ABNT, garantindo a qualidade e segurança no transporte de pacientes, além de possuir uma equipe de profissionais treinados e capacitados para prestar um atendimento eficaz em qualquer situação.

Profissionais Envolvidos

Medical professionals loading patient into ambulance

No transporte de pacientes em ambulância, diversos profissionais de saúde estão envolvidos para garantir um atendimento adequado e seguro aos pacientes. Dentre eles, destacam-se o enfermeiro, o técnico de enfermagem e o auxiliar de enfermagem, além do condutor da ambulância.

Competências da Equipe de Enfermagem

A equipe de enfermagem é constituída por enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem, cada um com atribuições específicas no processo de transporte inter-hospitalar. As principais competências dos profissionais de enfermagem envolvidos neste cenário são:

  • Enfermeiro: responsável por coordenar a equipe, avaliar o paciente, elaborar o plano de cuidados, acompanhar a evolução do paciente e garantir a execução das ações previstas no plano de cuidados;
  • Técnico de enfermagem: executa as ações previstas no plano de cuidados sob a supervisão do enfermeiro, auxilia na monitorização do paciente e na operação dos equipamentos médicos, preparar o paciente para o transporte e garantir a segurança do paciente durante a transferência;
  • Auxiliar de enfermagem: colabora com o técnico na execução das ações de cuidado e na monitorização do paciente, auxilia na organização e preparação do material e do local para o transporte.

Responsabilidades do Condutor

O condutor da ambulância desempenha um papel fundamental no transporte de pacientes, pois garante a segurança e o bem-estar do paciente durante a viagem. As principais responsabilidades do condutor incluem:

  1. Manter a ambulância em bom estado de conservação e funcionamento, realizando as manutenções periódicas e inspeções diárias;
  2. Dirigir a ambulância com segurança, respeitando as leis de trânsito e as recomendações para o transporte de pacientes;
  3. Conhecer e estar apto a utilizar os equipamentos de comunicação disponíveis na ambulância, como rádios e telefones móveis, para se comunicar com a equipe médica e o hospital de destino;
  4. Prestar auxílio à equipe de enfermagem quando necessário, colaborando na realização de procedimentos de cuidado e garantindo a segurança do paciente durante a viagem.

No Brasil, a normativa RESOLUÇÃO COFEN Nº 588/2018 estabelece as diretrizes para a atuação dos profissionais de enfermagem no transporte do paciente em ambiente interno aos serviços de saúde. Seguindo essas diretrizes e garantindo a cooperação entre os profissionais envolvidos, o transporte de pacientes em ambulâncias pode ser realizado com eficiência e segurança, garantindo o melhor atendimento às emergências médicas no país.

Tipos de Transporte

An ambulance with flashing lights and siren transports a patient

Transporte Pré-hospitalar

O transporte pré-hospitalar é um serviço essencial para o atendimento de pacientes que necessitam de cuidados médicos emergenciais antes de chegarem ao hospital. Esse tipo de transporte é realizado por ambulâncias equipadas e profissionais de saúde treinados para atuar em situações de emergência, como acidentes e crises de saúde súbitas. O objetivo principal do transporte pré-hospitalar é estabilizar a condição do paciente e transportá-lo com segurança para a unidade de saúde mais adequada às suas necessidades.

Transporte Inter-hospitalar

O transporte inter-hospitalar é realizado entre dois hospitais ou unidades de saúde, geralmente quando um paciente precisa ser encaminhado para um local com recursos especializados ou de maior complexidade. Normalmente, envolve a transferência de pacientes que já estão sob tratamento médico e precisam continuar esse atendimento em outro local.

Neste cenário, a equipe médica que realiza o transporte deve estar apta a manter a continuidade do tratamento e garantir uma transição suave entre as instituições. Conexões adequadas com profissionais de saúde e sistemas de emergências médicas no Brasil são fundamentais para coordenar esse processo e garantir a qualidade e a eficiência do transporte inter-hospitalar.

Transferência e Remoção de Pacientes

A transferência e a remoção de pacientes envolvem o transporte de indivíduos em situações menos críticas, como:

  • A alta hospitalar, quando o paciente recebe alta médica e necessita ser transportado para casa ou outro local de tratamento continuado;
  • A remoção simples, como por exemplo, quando um paciente precisa realizar exames ou consultas em outras unidades de saúde fora do hospital;
  • A locomoção de pacientes com baixo risco de vida, por exemplo, pessoas com mobilidade reduzida ou que necessitam de cuidados especiais durante o transporte.

Esses serviços são prestados por empresas especializadas em transporte de pacientes em ambulâncias, garantindo a segurança e o conforto dessas pessoas durante o trajeto. É importante frisar que a qualidade dos serviços de transferência e remoção é crucial para a recuperação e bem-estar dos pacientes, e a seleção dessas empresas deve ser feita com critério e responsabilidade.

Procedimentos de Transporte

Quando se trata de transporte de pacientes em ambulância, é essencial seguir as melhores práticas e garantir a segurança e o conforto do paciente. Nesta seção, abordaremos os principais procedimentos relacionados ao manuseio de macas e cadeiras de rodas e ao uso de cintos e dispositivos de segurança.

Manuseio de Macas e Cadeiras de Rodas

O manuseio adequado de macas e cadeiras de rodas é fundamental para a estabilidade e segurança do paciente durante o transporte. Para garantir a segurança do paciente, a equipe médica deve realizar os seguintes procedimentos:

  1. Verificar a condição e a funcionalidade das macas e cadeiras de rodas antes do uso.
  2. Posicionar a maca de forma estável e bloquear as rodas antes de ajudar o paciente a subir ou descer.
  3. Levantar e movimentar a maca utilizando técnicas de levantamento adequadas para evitar lesões.
  4. Ao usar cadeiras de rodas, aplicar corretamente os freios e utilizar técnicas corretas para subir e descer rampas.

Ao seguir esses procedimentos, você garante a segurança e a proteção do paciente durante o transporte e evita acidentes ou complicações associadas a macas e cadeiras de rodas.

Uso de Cintos e Dispositivos de Segurança

Outro aspecto crucial do transporte de pacientes é o uso adequado de cintos e dispositivos de segurança. Os profissionais de saúde devem seguir estas diretrizes:

  • Utilizar cintos de segurança ou dispositivos de fixação para proteger o paciente na maca ou na cadeira de rodas durante o transporte.
  • Ajustar os cintos de segurança de acordo com o tamanho e o peso do paciente, garantindo que sejam firmes, mas confortáveis.
  • Checar regularmente o posicionamento e a tensão dos cintos de segurança e ajustá-los conforme necessário ao longo da viagem.

O transporte de pacientes em ambulância é uma parte crítica do cuidado médico. É vital que os profissionais sigam as melhores práticas e garantam a segurança e o conforto do paciente. Quando manuseiam macas e cadeiras de rodas e utilizam cintos de segurança, os profissionais médicos, como os da Brasil Emergências Médicas, podem proporcionar um transporte eficiente e seguro para pacientes que necessitam de serviços de emergência ou rotineiros.

Atendimento e Cuidados no Transporte

Ao realizar o transporte de pacientes em ambulância, é fundamental garantir um atendimento de qualidade e os cuidados médicos necessários. Nesta seção, abordaremos os principais aspectos, como a monitorização e estabilização do paciente e o conforto e condições necessárias durante o traslado.

Monitorização e Estabilização

A monitorização e estabilização do paciente são medidas essenciais durante o transporte em ambulância. Elas garantem que os profissionais de saúde possam acompanhar os sinais vitais do paciente e intervir de forma rápida e eficaz quando necessário.

  • Sinais vitais: Incluem a avaliação da frequência cardíaca, pressão arterial, frequência respiratória e temperatura.
  • Suporte avançado de vida: Equipamentos e profissionais especializados garantem um tratamento adequado em casos de emergências médicas durante o transporte.
  • Comunicação contínua: A equipe médica deve manter contato com o destino final (ex: hospital) para informar sobre o estado do paciente e antecipar possíveis necessidades de tratamento especializado.

Conforto e Condições Necessárias

O conforto do paciente durante o transporte em ambulância é uma prioridade. A equipe médica deve garantir que as condições necessárias sejam providenciadas para acomodar o paciente de maneira segura e confortável.

  • Posicionamento adequado: Dependendo da condição do paciente, ele deve ser acomodado na maca ou em uma cadeira especial, garantindo sua estabilidade e conforto.
  • Acesso a medicamentos e tratamentos: A equipe deve estar preparada para administrar medicamentos e realizar tratamentos conforme a necessidade do paciente, atendendo às demandas específicas de cada caso.
  • Higiene e limpeza: A ambulância deve estar sempre higienizada e em condições adequadas para evitar riscos de infecção e garantir o bem-estar do paciente.

A atenção aos detalhes e a elaboração de um plano de ação eficiente são essenciais para garantir o transporte de pacientes em ambulâncias com a qualidade e segurança necessárias no Brasil. Desse modo, é crucial escolher um serviço de transporte médico que siga as melhores práticas e siga as orientações das autoridades, como a Brasil Emergências Médicas, garantindo a integridade física e emocional dos pacientes durante todo o processo.

Protocolos Específicos

An ambulance with medical equipment and personnel following specific patient transport protocols

Urgência e Emergência

No âmbito dos serviços de saúde, o transporte de pacientes em ambulância é fundamental para garantir a segurança e a qualidade no atendimento. Em situações de urgência e emergência, o atendimento pré-hospitalar é realizado pelos profissionais de saúde presentes na ambulância, que mantêm contato com a central de regulação médica para orientações e encaminhamento aos hospitais adequados.

De acordo com a RESOLUÇÃO COFEN Nº 588/2018, as equipes de enfermagem devem seguir normas específicas durante o transporte de pacientes em ambiente hospitalar. Dentre os procedimentos realizados estão a transferência entre alas, assim como a condução de pacientes para exames ou outros serviços dentro do próprio hospital.

Serviços Especiais Oferecidos

Algumas empresas, como a Brasil Emergências Médicas, oferecem serviços especiais de transporte em ambulância. Esses serviços incluem ambulâncias particulares, ambulâncias para eventos, ambulâncias para empresas e até resgate de dependentes químicos.

  1. Ambulâncias particulares: Para quem necessita de assistência médica particular, algumas empresas disponibilizam aluguel de ambulâncias particulares. O Brasil EmergÊncias Médicas é um exemplo de empresa que presta esse serviço.
  2. Ambulâncias para eventos: É uma excelente opção para garantir a segurança e bem-estar dos participantes de eventos em geral.
  3. Ambulâncias para empresas: Algumas companhias optam por contratar serviços de ambulância para cobertura de emergências médicas no ambiente corporativo.
  4. Resgate de dependentes químicos: Em casos de remoção de dependentes químicos, serviços especializados em resgate e transporte podem ser extremamente úteis.

É importante ressaltar a necessidade de seguir protocolos específicos em cada tipo de serviço, garantindo o cumprimento das normas e padrões de qualidade em todos os cenários.

Gestão e Treinamento

A paramedic instructs and assists in loading a patient onto an ambulance stretcher for transport

Central de Regulação e Vigilância

A Central de Regulação é um órgão fundamental no processo de transporte de pacientes em ambulâncias, pois é responsável por coordenar e monitorar todas as solicitações de serviço. Além disso, a vigilância contínua do transporte garante a segurança dos pacientes e a eficiência na prestação do serviço, garantindo o deslocamento para o local adequado e no tempo adequado. É fundamental que se estabeleça uma comunicação eficiente entre a Central de Regulação e as equipes de ambulâncias, garantindo o pleno funcionamento do sistema.

No Brasil, a empresa responsável por emergências médicas é a Brasil Emergências Médicas, que atua em parceria com a Central de Regulação.

Treinamento Prévio e Continuado da Equipe

O treinamento prévio da equipe de enfermagem e socorristas é essencial para garantir a qualidade do atendimento ao paciente durante o transporte em ambulâncias. Os profissionais devem estar preparados para lidar com diferentes níveis de gravidade, desde o suporte básico até o suporte avançado, dependendo das necessidades do paciente. Além disso, é fundamental que os profissionais estejam atualizados sobre as últimas técnicas e protocolos em saúde, garantindo uma assistência adequada e eficiente.

As instituições responsáveis pelo transporte de pacientes devem investir em treinamentos e programas de educação continuada, garantindo que a equipe esteja sempre preparada para prestar o melhor atendimento possível em todos os casos e que possam atender no ambiente interno dos serviços de saúde.

Algumas técnicas e estratégias que devem ser consideradas no treinamento incluem:

  • Programação Neurolinguística (PNL) para desenvolver habilidades de comunicação e empatia com os pacientes e familiares;
  • Segurança e manuseio dos equipamentos utilizados em ambulâncias;
  • Procedimentos e protocolos específicos para o transporte de diferentes tipos de pacientes (por exemplo, pacientes críticos, gestantes, etc);
  • Legislação e ética aplicáveis ao transporte de pacientes em ambulâncias.

Dessa forma, a gestão eficiente da Central de Regulação e a capacitação adequada da equipe de enfermagem e socorristas são fundamentais para garantir um transporte seguro e eficaz para os pacientes que necessitam de atendimento em ambulâncias.

Saiba mais:

Gostou desse artigo? 

Gilson Rodrigues de Siqueira

Formado em enfermagem, pós graduado, palestrante em dependência química, diretor e proprietário da Brasil Emergências Médicas, Visão Tattoo e escritor nas horas vagas.