3 dicas para aumentar a imunidade

aumentar a imunidade

Curitiba, 21 de fevereiro de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. Aumentar a imunidade: Veja algumas dicas para fortalecer o seu sistema imunológico e ajudar o seu organismo a se defender de doenças!

O organismo humano é complexo e composto de diferentes órgãos e sistemas. Um deles é o sistema imunológico, responsável pela proteção contra agentes externos como vírus, bactérias e outros microrganismos que podem nos infectar e prejudicar a nossa saúde.

Esse sistema possui diferentes células, sendo cada uma delas responsável por executar determinada função. As células brancas (ou leucócitos), por exemplo, são originadas na medula óssea e eliminam células mortas do organismo. Já os  macrófagos devem realizar a fagocitose (processo que engloba células danificadas ou envelhecidas).

Você é daquelas pessoas que adoram se manter atualizadas sobre os cuidados com a saúde, mantêm uma dieta saudável (com frutas, saladas, legumes e suco verde) e uma rotina de exercícios físicos? Veja algumas dicas para ajudar a fortalecer a imunidade do seu organismo.

WhatsApp

Alimentação

imunidade

A alimentação é um dos fatores que mais impactam a saúde física e mental. A regra básica de uma alimentação saudável é priorizar alimentos naturais e evitar (ou pelo menos reduzir ao máximo) o consumo de alimentos processados (embutidos, sucos artificiais, salgadinhos, bolachas, etc.).

Alimentos naturais apresentam maior valor nutricional, contêm vitaminas e minerais que exercem função anti-inflamatória e antioxidante (fundamental para retardar o envelhecimento celular). Os nutrientes essenciais para fortalecer o seu sistema imunológico são: vitaminas A, C, D e E, além de zinco, selênio e ácido fólico.

Alguns alimentos nos quais eles podem ser encontrados são: frutas cítricas (como laranja, mexerica, abacaxi), morango, caju, acerola, pimentão, cenoura, abóbora, couve, brócolis, leguminosas (feijão, grão de bico, ervilha e lentilha), grãos, castanhas e frutos do mar.

No que se refere à vitamina D, é essencial tomar um pouco de sol todos os dias para produzi-la (é a única vitamina que não pode ser obtida a partir da alimentação). O melhor é tomar sol antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas.

Por isso, o primeiro passo para fortalecer o sistema imunológico é rever a sua alimentação, o que exige que você ajuste a sua rotina. Para conseguir cozinhar alimentos, talvez seja preciso reduzir o tempo gasto nas redes sociais ou consumindo produtos audiovisuais nas plataformas de streaming.

No começo pode ser especialmente difícil, mas lembre-se de que todo novo hábito exige disposição e disciplina para ser mantido ao longo do tempo. Além da saúde, cozinhar mais alimentos naturais reduz os gastos financeiros com a alimentação antes realizada em restaurantes ou através de aplicativos.

Com os alimentos, é essencial beber mais água para manter o corpo bem hidratado: o recomendado pela ciência é em torno de dois litros por dia. Vale lembrar a importância de reduzir o consumo de bebidas alcoólicas e evitar cigarros.

Exercícios físicos e sono

imunidade

Praticar atividades físicas regularmente é outro hábito fundamental para fortalecer o sistema imunológico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda entre 150 e 300 minutos de atividade aeróbica por semana para todos os adultos e de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

Atividades físicas reduzem a sensação de estresse, aumentam a produção de endorfina (substância responsável pela sensação de bem-estar) e estimulam a produção de anticorpos no organismo.

Cuidados

imunidade

Em um contexto pandêmico como o que o mundo ainda vive, houve uma grande disseminação de informações falsas sobre como aumentar a imunidade. Até hoje, o único meio cientificamente comprovado para evitar sintomas graves contra a Covid-19 é tomar todas as doses e reforços de vacina.

É preciso buscar informações de fontes confiáveis e tomar cuidado para não acreditar ou disseminar notícias falsas que podem prejudicar a saúde de outras pessoas ou incentivá-las a aderir processos terapêuticos ineficazes. Busque profissionais qualificados e fontes de informações oficiais (como estudos de centros de pesquisa e órgãos internacionalmente reconhecidos) para acessar informações corretas.

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo? 

Gilson Rodrigues de Siqueira

Formado em enfermagem, pós graduado, palestrante em dependência química, diretor e proprietário da Brasil Emergências Médicas, Visão Tattoo e escritor nas horas vagas.