Raio x Curitiba: o que é, para o que serve e quais são os cuidados? 

raio x

Curitiba, 4 de março de 2022, escrito por Gilson Rodrigues. Raio x em Curitiba: Quando o médico suspeita que o paciente está com alguma doença, é comum que ele solicite uma bateria de exames. Trata-se de algo normal, onde o intuito é obter a confirmação ou não da sua suspeita. Sem isso, não há como iniciar o tratamento.

Afinal de contas, cada doença possui uma forma mais eficaz para se tratar. Então, de nada adianta prescrever um remédio X, se a causa da doença é uma outra. Ao fazer isso, além de perder tempo, é algo ineficaz, que não vai surtir melhora para o paciente.

E é por essa razão que o médico sempre pede ao paciente que ele faça um determinado exame, a fim de que se possa avaliar com mais detalhes o problema e, dessa forma, consiga estipular a melhor forma de tratar a doença.

Fato é que existem inúmeros exames que auxiliam o médico nesse momento. E isso acontece porque, para cada suspeita, existe um exame mais preciso. Às vezes, pode ser um exame de sangue ou uma tomografia, por exemplo.

Contudo, sem dúvidas um dos mais comuns diz respeito ao raio x. No entanto, ainda que seja o mais comum, isso não quer dizer que as pessoas entendam, de fato, do que se trata ou mesmo qual é a sua real funcionalidade.

Você saberia dizer como funciona o raio x? É fato que ele é de grande importância para auxiliar no diagnóstico de uma doença. Por isso, é possível que você esteja se perguntando sobre onde fazer raio x em Curitiba.

A verdade é que as opções são muitas, o que pode lhe deixar um pouco confuso. Por isso, no artigo de hoje, iremos falar sobre esse assunto com mais detalhes. Então, sem mais delongas, vamos ao que importa!

WhatsApp

O que é o raio x?

Em suma, o raio x Curitiba nada mais é que o nome popular para o exame de “radiografia”. Ou seja, um exame de imagem, o qual serve para auxiliar no diagnóstico de diversos de diversos tipos de patologias, como fratura, por exemplo.

Através da produção de imagens, torna-se possível observar as estruturas internas do corpo. Dessa forma, o médico consegue avaliar se existe alguma inconsistência interna, por exemplo. E, caso haja, facilita para indicar o tratamento mais adequado.

Muitos conhecem esse exame pelo fato de haver pequenas doses de radiação ionizante: os raios X. Eles são ótimas opções para produzir as imagens de exames de radiografia, mamografia, densitometria ou mesmo exames de tomografia computadorizada, por exemplo.

Ademais, uma curiosidade sobre esse método é que ele é um dos mais antigos, uma vez que surgiu em 1895. E, até os dias de hoje, aplica-se de forma constante, haja vista que é muito eficiente para auxiliar no diagnóstico de alguns problemas.

O objetivo desse exame é sempre permitir a visualização de determinados órgãos ou estruturas internas. Alguns tendem a achar que só é possível ver os ossos, mas isso não é verdade. Através do raio x, é possível observar vasos sanguíneos, sistema coletor, cólon e outros.

No entanto, há alguns tipos de radiografia em que se é necessário utilizar de meio de contraste à base de iodo ou bário, os quais devem ser administrados por via intravenosa ou oral, em geral. O fato de ser um exame muito pedido, faz com que haja várias clínicas de raio x.

Como funciona o raio x?

Uma outra dúvida que você pode ter, antes de procurar por uma clínica raio x, diz respeito ao fato de como esse exame funciona. No entanto, quanto esse assunto, vai depender de alguns fatores e do objetivo.

Entretanto, o mais comum é aquele em que a pessoa fica em uma maca, ou pé. Nesse caso, a região que deve passar pelo exame deve ficar na mira da máquina. Feito isso, a máquina de radiografia irá emitir um feixe de elétrons.

Esses elétrons atravessam o corpo com maior ou menor dificuldade. Isso varia de acordo com a densidade da área. Um osso, por exemplo, tende a bloquear a maior parte da radiação, uma vez que ele é muito mais denso.

E é por essa razão que, ao sair o resultado, ele fica marcado no filme como uma sombra branca. Então, isso quer dizer que, quanto mais branco ele, maior é a densidade. Ademais, a “fotografia” é feita em segundos.

Mas, é apenas depois de alguns minutos que as imagens bidimensionais são reveladas em uma chapa. No entanto, outra informação que você precisa ter antes de procurar uma clínica de raio x em Curitiba diz respeito aos tipos que existem.

O exame raio x pode se dividir em alguns tipos. É verdade que a grande parte das clínicas fazem todos os tipos, no entanto, é sempre bom conferir, até mesmo para evitar certos problemas.

Quais são os tipos de raio x?

Há algumas informações que você precisa saber sobre o raio x, sendo uma delas em relação aos tipos. Nos dias de hoje, elas se definem por “convencional” e “contrastada”. Por isso, quando o médico indicar esse exame, é necessário se atentar nesse detalhe.

Isso acontece porque cada exame tende a proporcionar um resultado diferente. Então, nos tópicos seguintes, iremos falar com mais detalhe sobre os dois tipos. Confira:

Radiografia convencional

Há vários tipos e métodos de raio x em Curitiba, sendo um deles o convencional. Inclusive, esse é o mais comum nas clínicas, e isso acontece em especial devido ao baixo custo para aquisição do equipamento. Por isso, esse é o tipo que existe nas clínicas menores.

No entanto, isso não quer dizer que o exame é ineficiente, mas muito pelo contrário. Na verdade, esse tipo de raio x possibilita a obtenção de exames com agilidade, além de oferecer imagens de alta qualidade.

E isso acontece mesmo em locais com maior dificuldade de fazer o exame, como vasos sanguíneos e o trato gastrointestinal. Para tal, deve-se fazer o uso de contraste antes ou durante a realização do exame, já que qualifica ainda mais as imagens.

Radiografia contrastada

Já esse tipo de raio X leva esse nome por conta do componente químico, que se chama “contraste”. Ele não é o mais comum, haja vista que não é utilizado em todos os exames. No entanto, ele tem uma funcionalidade mais específica.

O componente químico, nesse caso, deve ser aplicado no paciente antes do exame. E isso se faz necessário porque o contraste modifica a capacidade de absorção da radiação ionizante dos tecidos. Ou seja, formam imagens mais claras.

Isso se faz necessário porque, como falamos, há regiões em que o exame é mais dificultoso. Então, através desse procedimento, as coisas se tornam muito mais fáceis. Mas, como dito, esse não é o procedimento mais comum, ele é para fins mais específicos.

Na verdade, utiliza-se apenas em áreas em que a nitidez da imagem pode ficar um pouco mais prejudicada, ou seja, não tão nítida. Como exemplo, podemos citar a região abdominal, o sistema digestivo, o trato urinário e no sistema reprodutor, também.

Raio x Curitiba preço

Outra dúvida bem pertinente diz respeito aos valores desse exame. No entanto, isso vai depender não somente de acordo com o tipo, mas também em relação às áreas que devem ser submetidas ao exame. Existe tanto raio x tórax quanto raio x panorâmico, por exemplo, e cada um possui o seu valor.

WhatsApp

Saiba mais:

Gostou desse artigo?